28 fevereiro 2014

Carnaval Folião anima Marvão

A União da Juventude Arenense e o Grupo Carnavalesco organizam, em parceria com o Município, a Junta de Freguesia de Santo António das Areias, o Grupo Desportivo Arenense e o Agrupamento de Escolas, a 9ª edição do Carnaval Folião de Marvão, nos dias 28 de Fevereiro, 1, 2, 4 e 5 de Março.

São cinco dias inteiramente dedicados aos festejos carnavalescos e que prometem muita fantasia, cor e alegria. O Largo da Igreja, em Santo António das Areias, será o palco principal dos festejos.

Por um dia que seja, cada pessoa pode ser aquilo que quiser, o importante é dar asas à imaginação e sair à rua, entrar na folia e divertir-se. Este é o mote do Carnaval Folião de Marvão, um evento que tem vindo a ganhar adeptos nos últimos anos e onde a animação está garantida.

O Entrudo de Marvão arranca com o Desfile das “Escolinhas”, no dia 28 de Fevereiro. A partir das 10h, os foliões de palmo e meio, do Agrupamento de Escolas e da Creche de Santo António das Areias, vão espalhar boa disposição pelas ruas da localidade.

Um Baile de Máscaras com o Grupo “Fora da Pauta”, Desfiles de mascarados, Matinés, Noites Carnavalescas com a actuação de dj´s convidados, e um beberete aberto a todos os foliões, são motivos mais do que suficientes para visitar Marvão e brincar ao Carnaval.

No dia 5, após quatro dias de folia, o tradicional “Enterro da Sardinha” encerra os festejos carnavalescos. A concentração está agendada para as 18h, no Bairro Manuel Pedro da Paz (junto ao Quiosque). É Carnaval, por isso esqueça todas as tristezas e aproveite para se divertir.

27 fevereiro 2014

MARCHA PARA SÃO BENTO

Desde o Ministério do Trabalho, Saúde e Educação, em defesa das funções sociais do estado, até São Bento. Contra a política de direita do PSD/CDS. 

25 fevereiro 2014

Francisco Assis candidato do Partido Socialista ao Parlamento Europeu

Não fui apoiante de Francisco Assis na disputa com António José Seguro para o cargo de Secretário-Geral do PS, não sou entusiasta da sua candidatura ao Parlamento Europeu, porque possui no seu pensamento político o pecado original de defender alianças à direita e não esquerda, mas reconheço-lhe capacidade para desempenhar tais funções.

É, no actual contexto, um bom candidato ao Parlamento Europeu. Um candidato que ajudará a destruir a propaganda do Governo do PSD/CDS.

Intervenção de Francisco Assis no Parlamento a 23 de Março de 2011

Marcha da CGTP dos Ministérios do Trabalho, Saúde e Educação até São Bento

A CGTP organiza a 27 de Fevereiro de 2014 uma Marcha, pelo emprego, salários, saúde, educação e protecção social, desde os Ministérios do Trabalho, Saúde e Educação, até São Bento.

Participa?

21 fevereiro 2014

FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA DE MARVÃO

O Festival Internacional de Música de Marvão está agendado para os dias 25, 26 e 27 de Julho de 2014. Este evento está a ser pensado e programado pelo maestro alemão Christoph Poppen, que desde 2011 tem residência na vila.

Este Festival de música clássica pretende atrair, todos os anos, durante um fim-de-semana de Julho, músicos de nível mundial para concertos em alguns dos locais mais emblemáticos da vila de Marvão, como os jardins do Castelo, as Igrejas de Nossa Senhora da Estrela, de Santiago e do Espirito Santo, ou a Cisterna.

“O pôr-do-sol em Marvão é inesquecível. Concertos ao entardecer, vão permitir ao público ouvir grandes nomes da música clássica mundial, à medida que o sol cai lentamente por detrás da orquestra”, explica Christoph Poppen, director artístico do evento.

Já são conhecidos alguns aspectos do programa que poderão ver em:

18 fevereiro 2014

Jornal "O Público" de hoje: PJ investiga suspeita de falsificação de acta na Câmara de Marvão

JÚLIO ISIDRO. NÃO QUERO MORRER....

Aqui vos deixo um texto de Júlio Isidro que a todos e todas nos deve fazer reflectir sobre o estado das coisas deste nossa país...


NÃO QUERO MORRER…..

NÃO, NÃO ESTOU VELHO!! NÃO SOU É SUFICIENTEMENTE NOVO  PARA  JÁ SABER TUDO!

Passaram 40 anos de um sonho chamado Abril.

E lembro-me do texto de Jorge de Sena…. Não quero morrer sem ver a cor da liberdade.

Passaram quatro décadas e de súbito os portugueses ficam a saber, em espanto, que são responsáveis de uma crise e que a têm que pagar…. civilizadamente,  ordenadamente, no respeito  das regras da democracia, com manifestações próprias das democracias e greves a que têm direito, mas demonstrando sempre o seu elevado espírito cívico, no sofrer e ….calar.

Sou dos que acreditam na invenção desta crise.

Um “directório” algures  decidiu que as classes médias estavam a viver acima da média. E de repente verificou-se que todos os países estão a dever dinheiro uns aos outros…. a dívida soberana entrou no nosso vocabulário e invadiu o dia a dia.

Serviu para despedir, cortar salários, regalias/direitos do chamado Estado Social e o valor do trabalho foi diminuído, embora um nosso ministro tenha dito decerto por lapso, que “o trabalho liberta”, frase escrita no portão de entrada de Auschwitz.

Parece que  alguém anda à procura de uma solução que se espera não seja final.

Os homens nascem com direito à felicidade e não apenas à estrita e restrita sobrevivência.

Foi perante o espanto dos portugueses que os velhos ficaram com muito menos do seu contrato com o Estado  que se comprometia devolver o investimento de uma vida de trabalho.Mas, daqui a 20 anos isto resolve-se.

Agora, os velhos atónitos, repartem o dinheiro  entre os medicamentos e a comida.

E ainda tem que dar para ajudar os filhos e netos num exercício de gestão impossível.

A Igreja e tantas instituições de solidariedade fazem diariamente o miagre da multiplicação dos pães.

Morrem mais velhos em solidão, dão por eles pelo cheiro, os passes sociais impedem-nos de  sair de casa,  suicidam-se mais pessoas, mata-se mais dentro de casa, maridos, mulheres e filhos mancham-se  de sangue , 5% dos sem abrigo têm cursos cursos superiores, consta que há cursos superiores  de geração espontânea, mas 81.000  licenciados estão desempregados.

Milhares de alunos saem das universidades porque não têm como pagar as propinas, enquanto que muitos desistem de estudar para procurar trabalho.

Há 200.000 novos emigrantes, e o filme “Gaiola Dourada”  faz um milhão de espectadores.

Há terras do interior, sem centro de saúde, sem correios e sem finanças, e os festivais de verão estão cheios com bilhetes de centenas de euros.

Há carros topo de gama para sortear e auto-estradas desertas. Na televisão a gente vê gente a fazer sexo explícito e explicitamente a revelar histórias de vida que exaltam a boçalidade.

Há 50.000 trabalhadores rurais que abandonaram os campos, mas  há as grandes vitórias da venda de dívida pública a taxas muito mais altas do que outros países intervencionados.

Há romances de ajustes de contas entre políticos e ex-políticos, mas tudo vai acabar em bem...estar para ambas as partes.

Aumentam as mortes por problemas respiratórios consequência de carências alimentares e higiénicas, há enfermeiros a partir entre lágrimas para Inglaterra e Alemanha para ganharem muito mais do que 3 euros à hora, há o romance do senhor Hollande e o enredo do senhor Obama que tudo tem feito para que o SNS americano seja mesmo para todos os americanos. Também ele tem um sonho…

Há a privatização de empresas portuguesas altamente lucrativas e outras que virão a ser lucrativas. Se são e podem vir a ser, porque é que se vendem?

E há a saída à irlandesa quando eu preferia uma…à francesa.

Há muita gente a opinar, alguns escondidos com o rabo de fora.

E aprendemos neologismos como “inconseguimento” e “irrevogável” que quer dizer exactamente o contrário do que está escrito no dicionário.

Mas há os penalties escalpelizados na TV em câmara lenta, muito lenta e muito discutidos, e muita conversa, muita conversa e nós, distraídos.

E agora, já quase todos sabemos que existiu um pintor chamado Miró, nem que seja por via bancária. Surrealista…

Mas há os meninos que têm que ir à escola nas férias para ter pequeno- almoço e almoço.

E as mães que vão ao banco…. alimentar contra a fome , envergonhadamente , matar a fome dos seus meninos.

É por estes meninos com a esperança de dias melhores prometidos para daqui a 20 anos, pelos velhos sem mais 20 anos de esperança de vida e pelos quarentões com a desconfiança de que não mudarão de vida, que eu não quero morrer sem ver a cor de uma nova liberdade.
Júlio Isidro

17 fevereiro 2014

Jornal "O Público" online: PJ investiga suspeita de falsificação de acta na Câmara de Marvão

Presidente desta autarquia do distrito de Portalegre confirma buscas às instalações municipais. A investigação "nada tem a ver com licenciamentos", mas sim com uma "incorrecção" numa acta, garante.
A Câmara de Marvão foi na sexta-feira alvo de buscas por parte da PJ, que suspeita de falsificação da acta de uma reunião do anterior executivo municipal. O presidente da autarquia, Vitor Frutuoso (PSD), esclarece que em causa estão erros na elaboração e posterior rectificação de uma acta, mas garante que a investigação da PJ “nada tem a ver com licenciamentos”.

No sábado, o semanário Expresso noticiou que as buscas na câmara estariam relacionadas com “autorizações de licenciamento concedidas pela autarquia”. Em declarações ao PÚBLICO nesta segunda-feira, Vitor Frutuoso nega: “Não foi esse o objecto da visita.” Segundo o autarca, foi feita "uma incorrecção" na acta de uma reunião de câmara, posteriormente detectada pelos serviços administrativos. "Eles rectificaram o erro mas não o fizeram como devia ser, em termos formais”, afirma. "A acta, não tendo sido corrigida como devia ser, pode ser objecto de suspeita", admite.

Frutuoso não revela, porém, em que data se realizou a reunião, dizendo apenas que foi durante o anterior mandato (o social-democrata preside a autarquia desde 2005). E questionado sobre qual a “incorrecção” detectada, o autarca responde apenas que tem a ver com “uma votação”, mas não revela o assunto.

O jornal i escreveu nesta segunda-feira que um vereador do PSD ter-se-á ausentado da reunião em que foi aprovado o licenciamento de um espaço de restauração que iria ser gerido por um irmão seu. A versão inicial da acta referia o contrário, dizendo mesmo que o vereador votou a favor da aprovação. O documento foi destruído e foi elaborada uma nova acta, com outras irregularidades, pelo que há suspeitas de falsificação de documentos, diz o i. O presidente da câmara não confirma esta versão.

Frutuoso refere que recebeu um pedido de esclarecimento do tribunal “no Verão do ano passado”. O assunto foi depois debatido numa reunião da câmara e foram prestados o esclarecimentos pedidos, garante. Mas o caso chegou agora às mãos da PJ.

Nesta segunda-feira, a secção de Marvão do PS emitiu um comunicado a exigir ao executivo que explique o motivo da investigação judicial, sublinhando porém que “nunca accionou nenhuma queixa no Ministério Público, nem em qualquer outro organismo” sobre este assunto.

O presidente da câmara estranha o comunicado do PS. “Todos os vereadores que fazem parte deste executivo tiveram conhecimento do que se passou”, afirma, sublinhando que não tem “nada a esconder” e que já respondeu às dúvidas apresentadas pelo vereador socialista Carlos Castelinho na reunião de câmara desta segunda-feira.

O PS acrescenta que “já tinha chamado à atenção de algumas situações menos regulares na autarquia”. E dá um exemplo: na última reunião da Assembleia Municipal, a 29 de Novembro, os deputados socialistas alertaram para a incompatibilidade de funções de um vereador, na sequência da atribuição de uma obra do município a uma empresa da qual este vereador é sócio-gerente.
Por Marisa Soares
Jornal Público online
17:18 h

Comunicado da Secção de Marvão do Partido Socialista

Comunicado n.º 01/2014

POLÍCIA JUDICIÁRIA EM ACÇÃO DE INVESTIGAÇÃO À
CÂMARA MUNICIPAL DE MARVÃO

Na sequência das buscas que foram levadas a cabo pela Polícia Judiciária na Câmara Municipal de Marvão na última sexta-feira, dia 14 de Fevereiro, o Partido Socialista vem desta forma pedir que o Executivo informe a população e que seja esclarecido o que se passou realmente.

Na reunião de Câmara de hoje o Vereador do Partido Socialista, Carlos Castelinho, entregou um pedido de esclarecimentos, para que esta situação seja explicada e se consiga perceber o que levou a estas buscas pela Polícia Judiciária.

O Partido Socialista já tinha chamado à atenção de algumas situações menos regulares na Autarquia. Como é o caso da última Assembleia Municipal, a 29 de Novembro de 2013, onde os seus membros eleitos alertaram para a incompatibilidade de funções de um Vereador, na sequência da atribuição de uma obra do Município a uma empresa da qual este vereador é sócio gerente.

Em nenhuma altura o Partido Socialista aceitará que sejam responsabilizados os funcionários da autarquia, em detrimento dos seus responsáveis políticos. Todos os trabalhadores do Município dão o melhor pelo Município de Marvão e esse profissionalismo não deve ser posto em causa.

Por final, o Partido Socialista quer deixar claro que nunca accionou nenhuma queixa no Ministério Público, nem em qualquer outro organismo, apenas em sede própria cumpriu o seu dever de fiscalização da Gestão da Autarquia, como irá fazer até final do mandato.

Marvão, 17 de Fevereiro de 2014

O Secretariado da Secção de

Marvão do Partido Socialista

NOTÍCIA DO JORNAL EXPRESSO SOBRE A POLÍCIA JUDICIÁRIA NA CÂMARA MUNICIPAL DE MARVÃO

À hora que publico esta notícia do Jornal Expresso de 15 de Fevereiro de 2015, está a decorrer a reunião quinzenal do Executivo da Câmara Municipal de Marvão.

Certamente teremos informações prestadas pelo Presidente da Câmara sobre os factos e notícias que têm vindo a público a cerca da presença da Polícia Judiciária na Câmara Municipal de Marvão.

15 fevereiro 2014

Introspecção por Manuela Azevedo - Clã

"Não é segredo, todos vemos, são casos reais, vivemos a dormir e cada vez perdemos mais...."

Talvez seja com este género de música que as novas gerações despertem para a realidade e ajudem a combater este Governo antes que seja tarde demais...

14 fevereiro 2014

POLÍCIA JUDICIÁRIA NA CÂMARA MUNICIPAL DE MARVÃO, HOJE, NA ABERTURA DOS SERVIÇOS?


Dos nossos actos resultam sempre consequências... Umas boas, outras más... 

A questão está no tipo de orientação que damos à nossa actividade política e pública. Se nos colocarmos no âmbito do serviço público, ao serviço das pessoas, das populações, as consequências serão certamente boas....

Sabendo que a justiça é lenta, vamos ver no que isto vai dar e até onde nos leva.

Aguardemos pelos próximos episódios...

08 fevereiro 2014

Em curso sobre comunicação e interação com os média

No curso sobre comunicação e interação com os média, a decorrer no CENJOR-Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas, dirigido a vários dirigentes da CGTP-IN.

07 fevereiro 2014

Centro Cultural de Marvão organiza tradicional jantar das Comadres

Mais uma actividade do Centro Cultural de Marvão, sempre ao serviço das pessoas, organizando agora o seu II Jantar das Comadres à moda antiga... a ver vamos, se haverá pasteis de massa tenra com recheio de algodão. Assim será à moda antiga...

CGTP-IN: AMIANTO – O GOVERNO NÃO CUMPRE A LEI E AGRAVA PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA

Comunicado de Imprensa n.º 009/2014
(Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho)

O amianto é uma fibra mineral que foi largamente utilizado durante muitos anos em vários sectores de actividade, mas sobretudo como material de construção, até que se concluiu tratar-se de um produto perigoso e potencialmente cancerígeno.

De facto, especialmente com a degradação provocada pelo tempo, este material solta minúsculas partículas fibrosas, que ficam suspensas no ar e são facilmente inaladas. Com a exposição continuada, as partículas vão-se acumulando nos pulmões e, a longo prazo, podem provocar lesões pulmonares, mesoteliomas e cancros pulmonares.

Após a divulgação de vários estudos científicos que estabeleciam uma relação causal entre a exposição ao amianto e o cancro de pulmão, a União Europeia emitiu, há cerca de 30 anos, as primeiras normas no sentido da restrição e limitação do uso do amianto e da protecção dos trabalhadores contra os riscos de exposição a estas substâncias (Directiva 83/478/CEE, do Conselho, de 19 de Setembro).

Nesta primeira fase ainda se considerava que nem todas as fibras de amianto eram perigosas, mas investigações posteriores concluíram que na realidade todas as fibras de amianto são cancerígenas, qualquer que seja o seu tipo ou origem geológica. O Programa sobre Segurança de Substâncias Químicas da Organização Mundial de Saúde concluiu, por outro lado, que não se conhecem valores limites de exposição abaixo dos quais não haja risco cancerígeno.

O amianto passou, assim, a constituir um relevante factor de mortalidade relacionada com o trabalho e um grave risco de saúde pública a nível mundial, cujos efeitos na maioria dos casos surgem vários anos depois da exposição.

Consequentemente, a colocação no mercado e utilização de produtos de amianto ou que contenham amianto foi proibida e uma nova Directiva Europeia (Directiva 2003/18/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 17 de Março) substituiu a anterior, limitando e proibindo com carácter definitivo actividades que implicam a exposição ao amianto e determinando a especial protecção dos trabalhadores eventualmente expostos, sobretudo em trabalhos de remoção e demolição.

Em Portugal, o amianto foi largamente utilizado como material de construção ao longo das décadas de 70 e 80 do século passado, pelo que é certo existirem inúmeros edifícios onde o amianto está presente, incluindo escolas, instalações governamentais e outros edifícios e equipamentos públicos., muitos dos quais ainda não foram devidamente identificados e sinalizados.

Embora tenhamos adoptado a legislação europeia sobre os riscos de exposição ao amianto – a primeira lei foi publicada em 1987 (Decreto-Lei 28/87, de 12 de Janeiro) e a Directiva mais recente foi transposta para o ordenamento jurídico nacional através do Decreto-Lei 266/2007, de 24 de Julho, actualmente em vigor – a verdade é que a aplicação prática destas normas tem conhecido muitas vicissitudes.

Desde logo, porque numa primeira fase as empresas que produziam e comercializavam as diversas fibras de amianto resistiram firmemente à aplicação das restrições e proibições legais, negando as evidências científicas e insistindo na não perigosidade de pelo menos algumas fibras, o que dificultou e atrasou a aplicação dessas mesmas restrições e das medidas de protecção. E, numa segunda fase, porque a inacção e passividade dos Governos se constituiu como obstáculo à resolução do grave problema de saúde pública posto pelo facto de existirem numerosos edifícios públicos onde o amianto está presente e é susceptível de afectar a saúde quer dos trabalhadores que neles desenvolvem permanentemente a sua actividade, quer dos utilizadores frequentes desses mesmos edifícios.

Tendo em vista a necessidade urgente de resolver este problema, a Assembleia da República emitiu pelo menos duas Resoluções, a última das quais – a Resolução da Assembleia da República nº 24/2003, de 2 de Abril – recomenda ao Governo que proceda, no prazo máximo de um ano, à inventariação de todos os edifícios públicos que contenham amianto na sua construção, elabore uma listagem desses edifícios e posteriormente assegure a remoção dos materiais nocivos e, ainda, que submeta os trabalhadores e utilizadores frequentes dos edifícios em causa a vigilância epidemiológica activa.

Mais tarde, e perante a constatação de que nada fora feito, a Lei 2/2011, de 9 de Fevereiro, relativa à remoção do amianto em edifícios, instalações e equipamentos públicos, veio determinar o levantamento de todos os edifícios, instalações e equipamentos públicos contendo amianto na sua construção, no prazo de ano; a organização e divulgação pública de uma listagem de todos esses edifícios, instalações e equipamentos; e em seguida a actuação do Governo no sentido de assegurar a monitorização e ou remover os materiais nocivos.

Porém, mais uma vez a lei não foi cumprida e, no decurso de 2012, vários Ministros do actual Governo PSD/CDS-PP emitiram mesmo declarações públicas no sentido de não haver meios para proceder a este levantamento ou de que o levantamento seria feito, mas não era prioritário.

Notícias recentes deram conta da situação de um edifício onde funcionam serviços do Estado, que contém amianto, e no qual se registou um número inusitadamente elevado de casos de cancro entre os trabalhadores. Sem que o Governo, mais uma vez, dê mostras de pretender solucionar a questão, quer neste caso concreto, quer na generalidade das situações que se sabe existirem.

Estamos portanto, e há longos anos, perante uma gravíssima questão de saúde pública que cabe ao Governo resolver com a máxima urgência. Não é aceitável que a saúde de inúmeros trabalhadores e cidadãos esteja a ser posta diariamente em risco, com potenciais efeitos irreparáveis a longo prazo, sem que o Governo assuma as suas responsabilidades.

Perante esta situação, a CGTP-IN exige ao Governo que tome as seguintes medidas:

A inventariação urgente de todos os edifícios, equipamentos e instalações públicas cuja construção contenha amianto;

A divulgação pública da listagem efectuada;

A elaboração de um plano de acção calendarizado tendo em vista a remoção e substituição do amianto ou, quando não seja possível, a transferência imediata dos serviços a funcionar no edifício em causa para outro local;

A manutenção de um registo público de todos os edifícios que sejam fonte de exposição profissional ou ambiental ao amianto;

A garantia de vigilância epidemiológica activa de todos os trabalhadores e utilizadores frequentes de edifícios com amianto;

A atribuição de indemnizações a todos os trabalhadores ou utilizadores frequentes comprovadamente afectados pela exposição ao amianto;

A elaboração e divulgação de estatísticas credíveis relativas a casos de doença/morte relacionados com a exposição ao amianto (exposição profissional e exposição ambiental).
DIF/CGTP-IN
Lisboa, 06.02.2014

05 fevereiro 2014

Edição de 2014 das Comidas D'Azeite em Marvão

Decorre a 9 de Fevereiro de 2014 no Porto da Espada, com a colaboração da Portus Gladii, a abertura da quinzena gastronómica das "Comidas D'Azeite", evento que já vai na sua 9.ª edição.

A quinzena decorrerá entre 09 e 23 de Fevereiro nos restaurantes aderentes. A não perder... 

04 fevereiro 2014

Concerto de Inverno: acção de solidariedade a favor da nossa Associação de Bombeiros

Decorre a 08 de Fevereiro o "Concerto de Inverno" organizado pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Marvão, para angariar fundos para a sua actividade que muito beneficia a população do Concelho de Marvão.

03 fevereiro 2014

Em reunião da Comissão Executiva da CGTP-IN

A decorrer a reunião da Comissão Executiva da CGTP-IN onde o balanço do dia nacional luta de 1 de Fevereiro está a ser feito bem como a análise da situação política.

Na CGTP-IN continuamos a luta contra o Governo da direita PSD/CDS, contra a sua política de empobrecimento das pessoas e do país, que destrói famílias com o desemprego e a emigração.

É preciso acabar com este Governo, mas só a acção colectiva dos trabalhadores e trabalhadoras, dos jovens, dos reformados e aposentados, pode levar a alcançar este objectivo.