17 fevereiro 2017

Uma Europa solidária é possível, Conferência a decorrer no Hotel Plaza em Lisboa

Está a decorrer no Hotel Plaza em Lisboa a Conferência Internacional subordinada ao tema "Uma Europa solidária é possível"

A Conferência contou com a participação na sessão de abertura de representantes das instituições organizadoras, nomeadamente, Reinhard Naumann (Fundação Friedrich Ebert), Fernando Jorge Fernandes (Instituto Ruben Rolo) e Pedro Silva Pereira (Fundação Res Pública).
Reinhard Naumann, Pedro Silva Pereira, Fernando Jorge Fernandes e Klaus Busch

O primeiro orador da Conferência é Klaus Busch da Universidade de Osnabrück que aborda o tema "Uma Europa solidária é possível".

No segundo painel sobre "Políticas solidárias a nível nacional e na União Europeia" usaram da palavra João Paulo Correia, deputado do Partido Socialista e Fernando Gomes do Instituto Ruben Rolo e do Secretariado e Comissão Executiva do Conselho Nacional da CGTP-IN.
João Paulo Correia, Brígida Batista e Fernando Gomes

O debate foi moderado por Brígida Batista dos órgãos da Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN e do Sindicato dos Professores da Grande Lisboa (SPGL).

21 novembro 2016

Debate sobre a Concertação Social: entre interesses e visões estratégicas

A partir da leitura das atas da Comissão Permanente da Concertação Social, exercício nunca antes feito em Portugal, o Caderno do Observatório sobre Crises e Alternativas, intitulado “A atividade da CPCS de 2009 e 2015: ecos das políticas europeias”,aborda aquele período e conclui que o peso da agenda governamental naquele órgão institucional, opção inscrita desde a sua criação, transmutou-se numa supremacia dos assuntos e das agendas determinadas pelas instâncias comunitárias, em desvalorização de uma discussão mais específica de temas prementes para uma estratégia nacional, muitos vezes reclamada pelas confederações.

É a partir deste mote que o Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra/ Observatório sobre Crises e Alternativas desafiou dois dos principais intervenientes nesse diálogo, António Saraiva (presidente da CIP) e Arménio Carlos (secretário-geral da CGTP), a refletir sobre as principais tendências da Concertação Social em Portugal e sobre o contributo que este corpo institucional do diálogo social poderá dar para o desenvolvimento do país.

23 de Novembro de 2016, 16:30 horas, Casa do Alentejo
(Rua das Portas de Santo Antão, 58 | Lisboa)


Programa

Breve apresentação do Caderno A actividade da CPCS de 2009 e 2015: ecos das políticas europeias, por Manuel Carvalho da Silva (Coordenador do CES/Lisboa).

Mesa Redonda com:

António Saraiva (Presidente da CIP – Confederação Empresarial de Portugal)

Arménio Carlos (Secretário-geral da Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses) 

Moderador: António Casimiro Ferreira (Professor da FEUC/Investigador do CES)

17 novembro 2016

Bolota: da má memória ao brilhante futuro

Aqui deixo uma notícia de João Galvão sobre a bolota, um produto que no Alentejo existe e que pode ser aproveitado:

Em tempos de guerra e carestia a bolota substituía na alimentação o cereal que escasseava. Em tempos de bonança dava-se ao gado. Hoje em dia, mais que novidade resgatada do passado, a bolota é uma bomba de saúde.

Quando Alfredo Sendim, proprietário da Herdade do Freixo do Meio, em 1995 tomou consciência da quantidade de quercus que o seu montado tinha, e do eventual desperdício de alimento potencial que ficava no chão, resolveu dar-lhes bom uso:

“A bolota é um dos alimentos mais equilibrados para o ser humano que a natureza nos oferece”, diz-nos. “Já foi o nosso principal alimento, há seis séculos. Sendo extremamente equilibrada e promotora de saúde, a bolota de qualquer Quercus [carvalhos, sobreiros, azinheiras, freixos] tem um equilíbrio extraordinário entre proteína, hidratos de carbono e gordura. Esta ultima é idêntica ao azeite. Os seus hidratos de carbono não têm glúten e são de cadeia longa, o que promove um bom índice glicémico. É fortemente antioxidante, prébiotica e anti-inflamatória, através do ácido cloragénico.”

A Herdade do Freixo do Meio pediu a participação do Instituto de Biologia Molecular e Celular da Universidade do Porto para ser estudado o efeito deste ácido, abundante na bolota, sobre as doenças neurológicas degenerativas. O ácido cloragénico tem um enorme efeito no combate aos radicais livres, o que torna a bolota, no mínimo, interessante do ponto de vista clínico e com potencial para futura aplicação em doenças como o Alzheimer.

Estas e outras conclusões foram apresentadas ao público no “Symposium: A Bolota, o futuro de um alimento com passado” que a Herdade efetuou em março passado. O objetivo deste foi divulgar o conhecimento e as práticas atuais em torno da valorização deste recurso essencial, pelo que foram apresentados resultados de uma investigação aplicada sobre as características nutricionais e funcionais da bolota, o potencial económico da fileira, os aspetos tecnológicos, bem como os aspetos histórico-sociológicos.

A bolota substitui diretamente a farinha de cereais, a batata e a amêndoa, por exemplo. Diz-nos o engenheiro Alfredo Sendim que neste symposium “foram saboreados pão, bolos, bolachas, pastéis de nata, bombons, filhoses, doçaria regional, sopa, croquetes, hambúrgueres, enchidos, pratos confecionados, café, licor, aguardente, cerveja, Gin, gelado, iogurte, …” todos realizados com a bolota como base de trabalho.

Perante tão longa lista de predicados perguntámos ao engenheiro que razões haveria para que a bolota não fosse já um produto de uso comum. Respondeu-nos, diplomaticamente “erro humano, desconhecimento”. As razões na realidade podem ser mais profundas: erro humano e desconhecimento serão certamente as razões que podemos apontar a uma geração mais jovem. Para todas as outras, será certamente a memória de tempos difíceis, quando a bolota era o último recurso. Jennifer Paterson, a morena das Two Fat Ladies, aponta a mesma razão para o facto de muitos ingleses de mais idade não gostarem de coelho. Quando se comia determinada coisa em tempos de pobreza, quando melhoramos a condição de vida a primeira coisa que fazemos é deixar de comer essa mesma coisa que nos traz lembranças da fome.

Alfredo Sendim defende mesmo a o uso da bolota como motor económico para a região, uma vez que “tem um potencial superior ao da cortiça”.

Se não estiver nos seus planos dar por agora um salto ao Alentejo, pode conhecer os derivados de bolota do Freixo do Meio, e toda a sua restante oferta biológica, na loja da Herdade no Mercado da Ribeira, em Lisboa.

Texto de:
JOÃO GALVÃO
13.11.2016

11 novembro 2016

COMO É BOM RESOLVER OS PROBLEMAS DOS TRABALHADORES

Em 2014 denunciei publicamente uma situação de assédio moral numa Pousada. Na altura o Grupo Pestana Pousadas, ao contrário de situações anteriores, resolveu o problema. Afastou da Pousada os responsáveis.

Hoje regressei à Pousada e encontrei a trabalhadora que era a maior vítima de assédio.
Foi bom encontrá-la.

Foi bom ouvir as suas palavras.

Foi bom ver que estava feliz.

Foi bom perceber que se sente estimada e valorizada.

Foi bom ouvir que nestes últimos dois anos já recebeu vários prémios.

Que este exemplo sirva para que outros trabalhadores denunciem as pressões e humilhações de que são alvo. Terão sempre ao seu lado a Comissão Trabalhadores do Grupo Pestana Pousadas.

09 novembro 2016

O MUNDO FICOU MAIS PERIGOSO

Acordei e verifiquei que o mundo ficou mais perigoso. Desta vez a culpa não é das elites políticas americanas... desta vez a culpa é mesmo do Povo americano.

04 novembro 2016

75.º Aniversário do Sindicato dos Trabalhadores de Serviços de Portaria, Vigilância, Limpeza, Domésticas e Actividades Diversas (STAD)

Tive o privilégio de assistir à Sessão Solene da comemorações do 75.º aniversário do STAD. Um Sindicato cuja luta em defesa dos direitos dos trabalhadores é uma constante.

Parabéns ao STAD e aos seus dirigentes...

02 novembro 2016

TARDE DE REUNIÕES COM GRUPOS PARLAMENTARES

A decorrerem reuniões na Assembleia da República com os Grupos Parlamentares para apresentarmos as propostas da CGTP-IN sobre o orçamento de estado para 2017. 
14:00h - Partido Comunista Português (PCP)
15:30h - Partido Ecologista "Os Verdes" (PEV)
17:00h - Partido Pessoas Animais Natureza (PAN)
18:00h - Bloco Esquerda (BE)

25 outubro 2016

Sessão de encerramento do XIII Congresso da Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN

A Sessão de encerramento do XIII Congresso da Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN, presidida pelo Presidente da Mesa do Congresso, Fernando Jorge Fernandes, contou com a presença de vários convidados com quem a Corrente se relaciona, tanto ao nível político como ao nível sindical.

Antes das intervenções a Corrente entregou à Secretária-Geral Adjunta do Partido Socialista, Ana Catarina Mendes, um conjunto de inscrições no PS, que reforçam o Partido mas que também reforçam a CSS da CGTP-IN.

Aqui fica a lista das saudações ou intervenções que ocorreram na sessão de encerramento:

Fernando Gomes
Agradecimentos e boas vindas

Saudações

Francisco Alves
Corrente Sindical do Bloco de Esquerda da CGTP-IN

João Torres
Secretário-Geral da Juventude Socialista


Intervenções Finais

Reinhard Naumann
Director da Fundação Friedrich Ebert em Lisboa

Carlos Silva
Secretário-Geral da Tendência Sindical Socialista do PS

Wanda Guimarães
Secretária Nacional do PS para o Trabalho

Carlos Trindade
Secretário-Geral da Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN

Ana Catarina Mendes
Secretária-Geral Adjunta do Partido Socialista

XIII Congresso da Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN (2.ª Sessão)

A 2.ª sessão do Congresso, que decorreu domingo pela manhã, continuou o debate em torno da resolução sobre a situação politico-sindical e as posições e orientações da Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN.

Muitos foram os temas abordados, desde o relacionamento da Corrente com a CGTP-IN e o Partido Socialista até às questões da resolução dos problemas concretos dos trabalhadores, a necessidade de acompanhamento permanente dos locais de trabalho.

Quanto à organização da Corrente foram apontados os objectivos para o futuro, nomeadamente, na organização da Corrente ao nível dos Sindicatos e Regiões. 

Fernando Gomes anunciou a criação em breve dos núcleos de Braga e Porto e a respectiva eleição dos secretariados.

XIII Congresso da Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN (1.ª Sessão)

Decorreu em Lisboa a 22 e 23 de Outubro o XIII Congresso da Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN.

Com o lema:
POR UM PORTUGAL DESENVOLVIDO, DEMOCRÁTICO E DE ESQUERDA
 NUMA EUROPA SOLIDÁRIA 

Por um Sindicalismo Autónomo, Democrático e Reivindicativo


A mesa do Congresso foi presidida por Fernando Jorge Fernandes e constituída por membros dos órgãos da CSS da CGTP-IN e convidados da organização, nomeadamente, Presidentes de Sindicatos com quem a Corrente se relaciona e membros do Conselho Nacional da CGTP-IN que ainda não fazem parte dos órgãos. 

A abertura do Congresso esteve a cargo do Secretário-Geral, Carlos Trindade, que saudou os presentes. 

Após a abertura foi apresentado pelo Fernando Gomes o regulamento de funcionamento do Congresso que após discussão foi aprovado por unanimidade. 

Carlos Trindade apresentou de seguida a resolução sobre a análise da situação politico-sindical e as posições e orientações da Corrente Sindical Socialista da CGTP-IN, findo a qual, se iniciou o debate.

 

18 outubro 2016

REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DE CONCERTAÇÃO SOCIAL (CPCS)

A decorrer a reunião da CPCS com a presença do Primeiro-Ministro, António Costa e dos ministros das Finanças, Segurança Social e Economia. 

Em discussão os assuntos a debater no próximo Conselho Europeu a 20 e 21 de Outubro.

O orçamento de estado para 2017 será também debatido nesta reunião com os parceiros sociais.