26 novembro 2015

Lançamento do livro de Florival Lança, Marvão e Ammaia - O Paraíso Prometido

Realiza-se no próximo sábado, 28 de Novembro, pelas 15 horas, na Casa da Cultura em Marvão, o lançamento do livro “Marvão e Ammaia - O Paraíso Prometido”, da autoria de Florival Lança. Este é um livro de ficção, cuja ação decorre durante o período da ocupação muçulmana no sul da Península Ibérica, entre os anos de 1070 e 1094.

Florival Lança foi dirigente da CGTP-IN, tendo no âmbito da Comissão Executiva, entre outras responsabilidades, as questões Internacionais. Dessas responsabilidades surgiu o seu primeiro livro "A Inter Nacional" de 2010. Em 2014 lançou o "Mato Mata", um livro que trás a muitos de nós, filhos dos soldados do ultramar, recordações de situações familiares que resultaram dos anos passados na guerra.

Comité Europeu para a Segurança e Saúde no Trabalho no Luxemburgo

A participar na última reunião do Comité Europeu para a Segurança e Saúde no Trabalho no Luxemburgo. Em Fevereiro há rotação de membros entre a CGTP e UGT. 

No Comité Europeu passará a contar com um/a representante da UGT e na Agência Europeia SST em Bilbao contará com a presença da CGTP-IN.

25 novembro 2015

O NOVO GOVERNO...

Tirando algumas personalidades por quem não tenho muita simpatia... Enquanto Sindicalista Socialista da CGTP-IN estou muito satisfeito com a composição do Governo, tanto ao nível dos Ministros como dos Secretários de Estado. Os que se vão relacionar com a CGTP-IN e os que nesse relacionamento são sectoriais e tem a ver com as responsabilidades que tenho na CGTP-IN.
Não refiro nomes, refiro as áreas onde tenho responsabilidades... Cultura, promoção da Segurança e Saúde no Trabalho (ACT) e as discriminações nos locais de trabalho e na sociedade em função da orientação sexual, deficiência, HIV, toxicodependência e convicções religiosas.

20 novembro 2015

CGTP-IN SAÚDA A APROVAÇÃO, NO PARLAMENTO, DOS PROJECTOS QUE PERMITEM A ADOPÇÃO POR CASAIS DO MESMO SEXO

Comunicado de Imprensa n.º 060/15

A CGTP-IN saúda a aprovação pela Assembleia da República dos vários projectos que reconhecem aos casais do mesmo sexo a possibilidade de acesso à adopção, pondo termo a uma situação que não só discrimina as pessoas em função da sua orientação sexual, como põe em causa o direito de muitas crianças a uma família e a uma parentalidade positiva.

O reconhecimento legal da parentalidade de pessoas do mesmo sexo significa o reconhecimento de que o desejo e a capacidade para a parentalidade nada têm a ver com a orientação sexual: Trata-se de um passo da mais extrema importância para a conquista da plena igualdade de direitos e para a concretização dos direitos fundamentais das pessoas com outra orientação sexual, que vai contribuir para a melhor protecção das crianças já hoje criadas por estas mesmas pessoas e simultaneamente abrir a muitas crianças institucionalizadas mais e melhores oportunidades de virem a ser integradas numa família.

Saudações Sindicais,
Fernando Gomes 
Comissão Executiva do Conselho Nacional da CGTP-IN
Departamento de Igualdade e Combate às Discriminações

05 novembro 2015

AMIANTO: A SUBNOTIFICAÇÃO DE DOENÇAS PROFISSIONAIS NÃO PODE CONTINUAR

Comunicado de Imprensa n.º 057/15

Segundo um estudo publicado pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge, 97% dos casos de mesoteliomas malignos provocados pela exposição ao amianto não foram notificados como doença profissional, o que significa que estamos perante uma situação de subnotificação destas doenças.

O mesmo estudo conclui ainda que a exposição ocupacional ao amianto no nosso país é bastante superior ao geralmente aceite e que provavelmente ocorre em mais sectores de actividade além daqueles que são tradicionalmente citados, como a construção civil e a indústria naval.

Neste sentido, recomenda-se que se identifiquem, com maior rigor, as fontes de exposição existentes, de modo a tomar todas as medidas necessárias ao seu controlo. A exposição às fibras de amianto é um dos mais relevantes factores de mortalidade relacionada com o trabalho e um grave risco de saúde pública a nível mundial, cujos efeitos, nomeadamente o surgimento de doenças associadas a esta exposição, como os mesoteliomas e os cancros de pulmão, só se fazem sentir na maior parte dos casos vários anos depois da exposição.

De acordo com a revista The Lancet, morrem todos os anos 194 mil pessoas em todo o mundo devido a diversos tipos de cancros provocados pelo amianto.

Neste contexto, a CGTP-IN, para além de continuar a exigir a rigorosa aplicação de todas as medidas de prevenção e protecção da saúde dos trabalhadores, bem como de todos os cidadãos, contra a exposição ao amianto e a todas as fibras de amianto, exige que haja uma notificação rigorosa de todos os casos de doença profissional resultantes de exposição ao amianto, nomeadamente os casos de mesoteliomas ocupacionais, de modo a permitir aos trabalhadores afectados o pleno acesso a todos os direitos inerentes à condição de doente profissional, incluindo as indemnizações e pensões por doença profissional.

Saudações Sindicais,
Fernando Gomes
Comissão Executiva do Conselho Nacional da CGTP-IN
Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho