25 julho 2009

Sensações de campanha...


O Movimento por Marvão tem andado nestes dias a contactar os eleitores no sentido de subscreverem a nossa candidatura à Câmara e Assembleia Municipal de Marvão.


Já sabemos que somos um concelho envelhecido. Que há alguns apoios sociais. Mas mesmo assim há situações que nos levam a reflectir sobre a importância de criarmos novas políticas de proximidade com as pessoas, que as possam ajudar a não se sentirem tão sozinhas.

Na Beirã, sede freguesia, aconteceu algo que nos dá que pensar, na passada quinta-feira, dia 23 de Julho de 2009. O que aconteceu a uma senhora, aí pelos 60 - 70 anos, que quando passávamos na rua reparámos que estava caída no chão. Acorremos logo. Pediu que chamássemos uma vizinha, coisa que logo fizemos. Contou-nos que estava há cerca de meia hora a chamar por ajuda, mas que ninguém lhe acudia; que tinha sentido uma tontura enquanto lavava a cabeça e tinha caído; sentia dores, chamámos logo a ambulância dos bombeiros de Santo António das Areias (Marvão) conforme pediu. Foi para o hospital de Portalegre.

O nosso concelho está despovoado. Os vizinhos do lado desapareceram. Há ruas de certas povoações onde poucos já moram. Alguém mais desprotegido e sozinho, como esta senhora, que lhe aconteça alguma coisa, não terá ninguém que dê pelo sucedido.

É a solidão dos mais idosos. Cabe-nos a nós ajudar aqueles que hoje, numa situação de fragilidade, mais precisam. São precisas respostas para estes casos.

É também por isso que o Movimento por Marvão surgiu. É preciso despertar consciências para esta realidade.

5 comentários:

F3lixP disse...

Olá!
Eu também já foi um "salvador" num desses casos, só por acaso, e dá que pensar que esta gente que tanto nos tem para contar esteja a mercê do acaso!
Penso no entanto o que puderá mudar esta situação que mais constantemente vai ocorrend pelo país fora (envelhecido). Quais os passos a tomar? Qual a forma de melhorar a forma de esgtar e o crescimento populacional desigual? É muito difícil penso eu! Ou então não, que sabe apenas um sopro de ideololia.
Arranjam-me trabalho e eum sítio para viver que possa pagar e mudo-me para perto de uma dessas pessoas! Simples! Com eu há-de haver muitos!
Qual a tua solução?
Abraço!

Paulo disse...

bolas, fiquei impressionado! ainda bem que passaram por ali! mas realmente, temos de rever a forma como deixamos os nossos idosos isolados, sozinhos... falo pela minha mãe que faz questão em continuar na aldeia, ainda que completamente autónoma; mas se lhe acontece alguma coisa em algum sítio isolado... bem, nem quero pensar nisso!
força no Movimento!

abraço

Tongzhi disse...

Estas situações dão sempre que pensar. Para além da solidão em que muitos idosos vivem, ainda há os riscos como este.

Socrates daSilva disse...

É muito triste o "deserto humano" que algumas localidades do interior ostentam. Pessoalmente, apesar de nascido e criado em zona urbana ribeirinha, sou seduzido pela beleza e qualidade de vida do interior. Então do Alentejo, nem se fala...

Continuem a lutar, que é uma causa imensa e digna!

Mike disse...

Dá que pensar realmente, no abandono e no esquecimento a que muitos estão votados.
Se não passassem naquele momento, como teria sido o desfecho?

Não sei como se poderá minorizar esse tipo de situações em terras pequenas como a Beirã, se até aqui em Portalegre (cidade e freguesias rurais) também vou tendo conhecimento de situações semelhantes e de pessoas que vivem sozinhos e que chegam a passar dias sem ver ou falar com alguém.

Abraço.