10 outubro 2008

Casamento entre pessoas do mesmo sexo


Hoje, 10 de Outubro de 2008, discute-se na Assembleia da República, os projectos de lei relativos à alteração do código civil, de modo a permitir o acesso ao casamento civil entre pessoas do mesmo sexo.

O “menino-prodígio” do Partido Socialista, mostrando todo o seu autoritarismo, arrogância e prepotência, disse no decorrer das últimas semanas que o PS não andava a reboque de ninguém.

Decidiu, e os “cordeirinhos” dos deputados vão seguir a ordem do grande líder, que haverá disciplina de voto nesta matéria, e que deverão votar contra as propostas do Bloco de Esquerda e do partido “os Verdes”.

Hoje de manhã saberemos quem são os “heróis” da bancada do Partido Socialista que irão votar a favor.

Será que ainda há heróis?

Nos últimos dias li a declaração de princípios do Partido Socialista aprovada pelo XIII congresso do PS em Novembro de 2002. Não tenho dúvidas que o PS, ao tomar a posição de inviabilizar a aprovação das alterações que estão propostas, está a violar de forma grosseira, os princípios que ali estão consignados.

A grande hipocrisia deste “menino-prodígio”

Vai “lixar” os trabalhadores com as alterações ao Código do Trabalho, aumentou impostos, originou milhares de desempregos, mudou a lei do divórcio, fechou maternidades e outros serviços de saúde local, está a destruir a escola pública, e não prometeu nada disto aos portugueses e portuguesas.

Mesmo assim, quanto ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, tem a “lata” de se refugiar de forma cobarde, no facto de não estar no programa de governo, como se um governo não fosse eleito para reagir aos anseios das pessoas e aos desafios que vão surgindo ao longo de um mandato.

Todo o ser humano deve ter os mesmos direitos. A todos e a todas deve ser reconhecido o direito à diferença, à igualdade de tratamento, ao acesso aos serviços, pois só assim se poderá construir uma sociedade verdadeiramente justa.

A quando da alteração da lei em Espanha, e justificando o casamento entre pessoas do mesmo sexo, Zapatero dizia “que uma sociedade decente é aquela que não humilha os seus membros”.

Em Portugal, o governo e o PS, optam por continuar a permitir a discriminação em função da orientação sexual.

Que triste país este!

Nota: Sou militante do Partido Socialista

10 comentários:

Tiago Pereira disse...

Boas,



Ainda me lembro, embora não passa-se de um catraio, que depois do referendo do aborto ter sido rejeitado em 1998, houve um período de nojo enorme, que durou anos e anos; quem discutisse a interrupção voluntária da gravidez era inconveniente. Diz-se que era uma questão fracturante, como se parti-se um país ao meio, sem se perceberem bem as suas consequências futuras. Eu prefiro chamar-lhe evolução, desenvolvimento social. Modernidade. É similar o pensamento para o casamento entre pesssoas do mesmo sexo. Não é fracturante; é símbolo de evolução. Ao que parece o PS, ainda não percebu isso. Ou será que tem medo? Não! Será? Claro que é! Medo que chamem larilas ao Sócrates, medo que os acussem de desvirtuarem os bons costumes portugueses. Enfim, aqueles que se achavam da vanguarda mundial, pelo magalhães e a interrupção voluntária da gravidez, dão agora sinais de retrocesso civilizacional ao permitirem que as leis civis discriminem enumeras mulheres e homens.



O Sócrates é maricas (tem medo que digam que a Ferreira Leite é mais homem do que ele)! Mas ele exporta Magalhães e casas pré-frabricadas…Ah assim está bem...



Abraços

Erecteu disse...

Fernando,
Quanto a casamentos: O nosso maquiavelito lá vai fazendo contabilidade eleitoral e o que lhe perspassa pela cabeça só ele e o diabo é que sabem o que é.

Quanto a música, vou mandar-te um mail.
Obrigado pelo incentivo.
Um abraço

Erecteu disse...

Primeira forma, não tens endereço de mail visível.
1. Clica no titulo da música e aparece uma página.
2. Saca o html que está na janela embebed e cola-a num post no separador "Editar HTML" e boa sorte.

Nos meus links se picares o Imeem vais ter à minha conta onde tenho alguma música, cria a tua própria e é sempre a ripar.

abraço

Jose disse...

É assim mesmo, quem fala assim não é gago!! :D

abraços :)

eu disse...

eu concordo plenamente com o governo!! casamentos entre maricas? que mau, onde já se viu.
ah, e nem conheço sequer ninguém que concorde, só aqui...

Patricio Muchacho disse...

Olá. Curti mt do teu comentário no meu blog, obrigado.

Quanto a politicas, confesso que me mantenho afastado, mas já tinha visto o teu blog. É bom haver consciência na net, he he. Continua com o bom trabalho.

Tongzhi disse...

Ó Fernando, tu desculpa, mas "maricas" deve ser o paizinho do "eu"...
Claro que é livre de concordar, ou não. Mas tem de perceber que as pessoas que gostam de pessoas do mesmo sexo, chamam-se homossexuais.

tiago pereira disse...

Uma espécie de esclarecimento:

Entre outras coisas, o termo maricas, serve para caracterizar as pessoas medrosas, que têm medo...Ok?

Por isso mesmo, o Sócrates é Maricas!!

Bem Hajam

Jose disse...

Eu não concordo com o casamento de "maricas" que se servem dele para camuflagem, e para "viver" consoante o que uma sociedade podre e baseada no medo e ignorância incute.
O mais lamentável é não sermos verdadeiros connosco próprios...
E caro "Eu" tenho pena da mulher do teu amigo "maricas" que deixa a mulher sozinha em casa, para viver ás escondidas, a vida que nunca teve coragem de admitir perante a sociedade (sub)desenvolvida que tu à partida admiras...
Viva a liberdade de expressão!!

Fernando disse...

Foi por opção que nas definições do Percursos deixei a possibilidade de qualquer anónimo poder comentar. Na verdade sempre defendi que todos e todas devem assumir as suas opiniões de forma livre, sem receios.
O “EU” anónimo comentou, um direito que lhe reconheço, mas para travar aqui uma discussão séria sobre o assunto, este, ou outros, evitem a cobardia do anonimato.